Menopausa

Menopausa

Entrevista com o Dr. Marcus Bessa ao Bom dia Ceará sobre Menopausa.

Entrevistadora: Quando os sintomas do climatério começam a aparecer? Varia com a idade?

Dr. Marcus Bessa: Varia sim. Você falou em climatério e menopausa, o termo menopausa é o termo mais conhecido pela população, mas é um termo mais restrito, a menopausa é a última menstruação. O termo climatério tem uma abrangência maior, ele significa os sintomas que se iniciam quando os ovários diminuem sua produção hormonal e segue até depois da menopausa. É um cortejo, um conjunto de sintomas psíquicos e físicos que acontecem, como as famosa ondas de calor. A queda hormonal inicia por volta dos 40 anos, o climatério se instala por volta dos 42 a 45 anos e estes sintomas podem chegar até o 55 anos, isso varia de mulher para mulher. Costumamos dizer que pessoas que tem melhor qualidade de vida, que se preparam para esse período com atividades físicas e vida saudável tendem a suportar melhor e a ter sintomas mais brandos.

Entrevistadora: Isso tem a ver com a menarca, a primeira menstruação, quanto mais cedo a mulher menstrua mais cedo ela irá entrar no climatério?

Dr. Marcus Bessa: Em algumas pacientes isso reflete bem. Quanto mais tarde a primeira menstruação normalmente esse ciclo se estende mais.

Entrev.: Isso é uma coisa normal, não é? É natural que a mulher queira adiar esse período da vida. É recomendável a reposição hormonal para todas?

Dr. Marcus Bessa: A reposição hormonal que é tão discutida e que traz medo a mulher, porque ela tem medo de câncer é uma coisa muito boa, desde que seja feita com acompanhamento médico. Se você chegar hoje numa farmácia para comprar hormônio você terá mais de 30 hormônios distintos. Então cabe a escolha a certa para cada paciente. Há pacientes que usaram hormônios duplos, com estrogênio e progesterona, ou apenas o estrogênio, mas eu diria que ela é necessária para praticamente todas as mulheres e ela tem muito mais benefícios do que malefícios, desde que seja escolhida adequadamente.

Entrev: Existe também a situação de mulheres que tem casos de câncer na família e tem medo. Existe comprovação científica que a reposição pode aumentar a incidência de câncer.

Dr. Marcus Bessa: Existem sim alguns tipos de reposição hormonal que podem levar a incidência de câncer, mas é preciso que se entenda que quando se fala no aumento da incidência de câncer, isso tem a ver com um longo período de exposição. Por exemplo, uma mulher que começou a fazer a reposição hormonal e após 6 meses apareceu um câncer mama, não há ligação desse câncer com a reposição. Normalmente esse aumente de câncer de mama se dá com uma exposição de 5 a 10 anos a reposição hormonal. E para aquelas pacientes com tendência a doença mamária há uma reposição específica, que manterá ou até diminuirá os riscos naturais dessa paciente.

Entrev: A reposição hormonal deve ser feita por longos períodos? Depois que se começa a mulher deve levar para o resto da vida?

Dr. Marcus Bessa: Bem, quando se faz a reposição hormonal deve-se ter objetivos específicos. Por exemplo, a mulher que decide fazer a reposição hormonal porque tem grandes intensidades de ondas de calor, aqueles sintomas mais agudos da menopausa, ela fará por pouco tempo, pois esses sintomas duram por um tempo relativamente curto, logo essa mulher, pensando nestes sintomas terá uma exposição menor. Já a mulher que precisa fazer a reposição como tratamento para osteoporose será exposta por um tempo mais longo. Então a reposição vai atender a várias necessidades de prevenção de doenças da mulher, como prevenção a osteoporose, prevenção dos sintomas do climatério e outras.

Entrev: Gravidez nessa época da vida é possível?

Dr. Marcus Bessa: A gestação no período do climatério é discutível, nem todas as mulheres poderão engravidar nessa época.

Existem vários fatores, o primeiro é se você conseguirá ou não a gravidez nessa época. As reservas de óvulos já baixaram nessa época. Se não existe mais reserva de óvulos, é possível recorrer a bancos de óvulos. Outro aspecto é a própria saúde da mulher, se a mulher for saudável e não apresentar doenças como cardiopatia, hipertensão, osteoporose, muito provavelmente ela conseguiria levar esta gestação até o fim. E outros aspectos são os riscos má formativos. Em geral, para mulheres acima de 45 anos a melhor opção é a doação de óvulos.

Entrev: Voltando a questão dos sintomas, existem alimentos que podem amenizar os calores, os sintomas, a soja por exemplo?

Dr. Marcus Bessa: A soja é um alimento rico em estrogênio, que é o hormônio da mulher, então alimentos a base de soja tendem a abrandar esses sintomas, muito embora não substitua a reposição específica

Compartilhar

CONTATO Rua Henriqueta Galeno, nº 470
Bairro: Dionisio Torres - Fortaleza – Ceará
Fone: 85 3457 6366
E-mail: contato@goclinic.com.br
Dr. Marcus Bessa
Dra. Rayanne Pinheiro